Banner do topo

CUT chama novos protestos contra reforma trabalhista para 18 de abril

Manifestações serão uma preparação para a greve geral Manifestações serão uma preparação para a greve geral Foto: Divulgação / CUT

A Câmara dos Deputados decidiu acelerar a tramitação da reforma trabalhista (PL 6787/16) e quer aprová-la no dia 19 de abril. Trata-se de mais uma manobra autoritária disfarçada de processo legislativo democrático, ou seja, mais uma etapa do golpe no Brasil.

 

A CUT reagiu prontamente: na sexta-feira, dia 7, em comunicado enviado aos dirigentes de suas estaduais, federações e confederações, a direção da Central convocou os líderes sindicais de todo o Brasil a intensificarem o calendário de preparação da Greve Geral de 28 de abril, com a realização, no dia 18, de um novo dia de protestos e mobilizações, principalmente para pressionar os deputados da Comissão Especial da Reforma Trabalhista.

 

Na quarta-feira, dia 5, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou essa manobra vergonhosa de aprovar a Reforma Trabalhista em duas semanas. Rapidamente, o deputado tucano Rogério Marinho (PSDB-RN), relator do projeto, declarou que apresentará seu parecer à Comissão Especial na próxima quarta-feira, dia 12. Quando a comissão foi instalada, a previsão para entrega do relatório era 4 de maio.

 

Um dos absurdos da reforma trabalhista é que esse projeto, com tamanho impacto de destruição de direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, está tramitando em caráter conclusivo e se for aprovado na Comissão Especial, pode seguir diretamente para o Senado, sem passar pelo plenário da Câmara.

 

Vagner Freitas, presidente da CUT, tem denunciado esse ataque contra a classe trabalhadora. “A reforma trabalhista de Temer oficializa o bico. O que significa que você só trabalha quando o patrão chama, só ganha pelo que produz, pode ser temporário por 120 dias ou mais, tem de negociar férias, 13º salário”, alertou em recente entrevista.

 

Fonte: CUT Nacional

Notícias - Tags

3º Congresso Nacional Extraordinário de Jornalistas (CONEJ) 20 impactos da reforma trabalhista para jornalistas 21º Encontro Nacional de Jornalistas em Assessoria de Imprensa (ENJAI) 36º Congresso Estadual dos Jornalistas 63ª Feira do Livro de Porto Alegre aceg acordo coletivo Artigos assembleia assembleia geral de previsão orçamentária para 2018 assembleia legislativa audiência pública Campanha de Negociação Coletiva 2014 Caxias do Sul chaparini cinebancários cinema comdim Comitê Gaúcho do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação comunicação Concursos Concurso TVE e FM Cultura Conferência Livre de Comunicação em Saúde congresso nacional dos jornalistas convênios corsan cultura curso de extensão cursos CUT cutrs debate delegacia regional delegado sindical diretas já EBC Edital eleição Eleição SINDJORS 2016 Encontro Gaúcho pelo Direito à Comunicação Entrevistas evento Exposição falecimento Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) FENAJ FNDC fotografia frei Sergio Görgen, Josi Costa e Leila Denise Meurer Frente Jurídica em Defesa das Fundações fundação piratini fundações fórum social das resistências greve dos Servidores greve geral GREVE NACIONAL grupo rbs imprensa I Seminário Estadual Saúde do Trabalhador jornalismo Jornalismo e o golpe na política Jornalismo na Mídia Juremir Machado da Silva, Denise Mantovani e Moisés Mendes livro matheus chaparini Michel Temer Moisés Mendes, Juremir Machado da Silva e Denise Mantovani Morre jornalista Fernando Goulart, em Porto Alegre mulher Notas Oficiais núcleo de aposentados ocupação palestra paulo pimenta pec 241 Piratini (TVE e FM Cultura) porto alegre previdência prêmio Prêmios Jornalismo record reforma da previdência reforma trabalhista revolução russa rio grande salário sartori seminário sindbancários Sindicato sindicato de São Paulo sindicato Distrito Federal sindjors SOS SINDJORS TVE e FM Cultura Vagas de Emprego versão dos jornalistas violência violência policial Vitória (ES)

Imposto Sindical - GRCSU

 

Mensalidades do Sócio - Pagamento de Mensalidade SINDJORS

Subir