Sindicato alerta Assembleia e Câmara de Vereadores sobre o risco de perder o sinal de transmissão

Em reunião na Câmara, Felipe Chemale (esq.), Milton Simas (centro) e Paulo Gilberto de Azevedo (dir.) Em reunião na Câmara, Felipe Chemale (esq.), Milton Simas (centro) e Paulo Gilberto de Azevedo (dir.) Foto: Divulgação

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS (SINDJORS) reuniu-se com representantes da Assembleia Legislativa e da Câmara de Vereadores de Porto Alegre para alertar sobre os riscos da extinção da Fundação Piratini e o uso do sinal por parte das duas casas. Nos encontros com Marcelo Nepomuceno, superintendente de Comunicação da AL, e Felipe Chemale, coordenador de Comunicação Social da Câmara, o presidente Milton Simas repassou documentos com informações sobre os trâmites das negociações com o governo do Estado e o que pode ocorrer em caso de extinção.

 

As duas casas possuem contratos/convênios com o governo para uso do sinal de transmissão da programação da TVE. Com a possibilidade de extinção da Fundação e consequente demissão dos servidores, a manutenção do serviço está ameaçada.

 

(Da esq. para a dir.) André Pereira, Paulo Azevedo, Milton Simas e Marcelo Nepomuceno

Foto: Divulgação

 

O Sindicato entende que ao votarem pela extinção da Fundação e demais unidades do Estado, os deputados da base do governo não tinham ideia do que estavam decidindo, colocando em risco a TV Assembleia e a TV Câmara.

 

“Fizemos as reuniões para alertar sobre os prejuízos que possam vir a ter com o fim do sinal, atitude que afetará o público que acompanha a programação dos canais das duas instituições públicas. É bem provável que tenham que buscar parcerias com empresas privadas, com valores mais altos que os praticados pelo Estado, onerando o patrimônio de todos os gaúchos”, afirma Simas.

 

Imprensa / Sindjors

Última modificação em Quarta, 15 Março 2017 17:52

Imposto Sindical - GRCSU

 

Mensalidades do Sócio - Pagamento de Mensalidade SINDJORS

Subir