-->

Detalhes Notícia


O jornalismo está de luto com as mortes de Schubert e Dines

O Sindicato dos Jornalistas profissionais do Rio Grande do Sul (SINDJORS) lamenta o falecimento de dois jornalistas que honraram a profissão por longos períodos. Flávio Solon Schubert atuou durante anos em diversas editorias do jornal Zero Hora, com destaque para a Economia e Política. Atuou também nos jornal Diário de Notícias e A Razão, de Santa Maria (neste como correspondente). Formado em Direito, exerceu a profissão e era uma unanimidade entre seus colegas, que não economizam adjetivos para lembrar do profissional com quem conviveram. Entre eles, elegante editor, culto, bem humorado, cordato, conciliador e amoroso. O velório de Schubert foi realizado na Funerária Krause, sala B, em Novo Hamburgo e o enterro às 16h, no Cemitério Evangélico de Hamburgo Velho.

 

O jornalista Alberto Dines, 86 anos, foi fundador do Observatório da Imprensa, em 1990 e estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Em comunicado, a equipe do seu site informou que está preparando uma edição especial sobre o “legado do Mestre Dines a ser publicada em breve”.

 

Natural do Rio de Janeiro, o jornalista iniciou sua carreira na área em 1952 na revista A Cena Muda. Trabalhou, ainda, na publicação Manchete, nos jornais Última Hora, Folha de S.Paulo e Tribuna da Imprensa, e na Editora Abril. Em 1960, dirigiu o Diário da Noite, dos Diários Associados, de Assis Chateaubriand e, em 1962, assumiu como editor-chefe do Jornal do Brasil, onde permaneceu por 12 anos e coordenou uma importante reforma gráfica. Na década de 1960, ingressou como professor na PUC-RJ, na qual criou as disciplinas de Jornalismo Comparado e de Teoria da Imprensa.

 

Fonte: Imprensa/SINDJORS

Tags: Alberto Dines - Flávio Solon Schubert - Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul (SINDJORS)
Cadastrada em 22/05/2018