Detalhes Notícia


Crise ambiental e direitos humanos pautam o Seminário Internacional comemorativo aos 79 anos do Sindjors

Com o objetivo de debater o mercado de trabalho para os jornalistas em tempos de crise econômica, sanitária, política e social, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS – Sindjors realiza, de 27 a 30 de setembro de 2021, o Seminário Internacional: “Desafios e Oportunidades para Jornalistas num Mundo em Transformação”.

 

O evento busca promover a análise, conhecimento, discussão e o debate, no âmbito dos jornalistas bem como da sociedade em geral, sobre temas tais como o atual mercado de trabalho dentro da chamada “nova normalidade”, a crise ambiental e seu impacto em nossas vidas, o papel dos sindicatos e quais são as perspectivas em um futuro próximo, direitos humanos e diversidade.

 

O Seminário contará com importantes representações de organismos internacionais, entidades de classe, cientistas políticos, acadêmicos e jornalistas. Entre elas citamos: FENAJ, FEPALC, FNDC, Sindicato dos Radialistas do RS, Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), ONU Mulheres, Organização Internacional do Trabalho (OIT), CUT Nacional e Regional, entre outros.

 

Quatro mesas vão compor o evento, que será realizado totalmente em ambiente on-line. A primeira delas (27/09) vai tratar do Jornalismo, Direitos Humanos e Diversidade. A segunda mesa (28/09) vai debater Caminhos do Jornalismo Frente as Atuais Condições de Trabalho e as Novas Tecnologias. Na sequência, no dia 29, terá lugar o debate O Novo Sindicalismo e os Desafios para o Futuro. Encerrando o seminário, no dia 30, serão tratados o Enfrentamento das Crises e as Contingências: a Mudança Climática e o Papel no Jornalismo.

 

O Seminário Internacional “Desafios e Oportunidades para Jornalistas num Mundo em Transformação” acontece de 27 a 30 de setembro, das 10 às 12h, com transmissão via plataforma Stream Yard, simultânea e cruzada pelo Facebook e YouTube.

 

PROGRAMAÇÃO 

 

27 de Setembro | Segunda-feira | 9h30min – Mesa de Abertura

 

Maria José Braga é presidenta da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e integrante do Comitê Executivo da Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ).

 

Zuliana Lainez é vice-presidenta da Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ), presidenta da Federação de Jornalistas da América Latina e Caribe (Fepalc), secretária geral da Associação Nacional de Jornalistas do Peru (ANP), Editora de Opinião do diário digital Crônica Viva e professora universitária na Disciplina de Direito à Informação.

 

Beth Costa é da direção da Fenaj e do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro; é coordenadora do Fórum Nacional da Democratização da Comunicação (FNDC).

 

Antônio Ricardo Malheiros é presidente do Sindicato dos Radialistas do Rio Grande do Sul com passagens em diferentes veículos de comunicação, entre eles RBS TV e, atualmente, integra a equipe do Canal Rural.

 

José Nunes é presidente da Associação Riograndense de Imprensa – ARI, ocupa também o cargo de vice-presidente da Regional Sul da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), em seu segundo mandato.

 

Amarildo Pedro Cenci é graduado em Filosofia e Direito, professor, diretor do Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (SinproRS) e presidente da Central Única dos Trabalhadores do Rio Grande do Sul.

 

Vera Daisy Barcellos é Presidenta do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul; foi presidenta da Comissão Nacional de Ética da Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj), mandato 2016-2019, e é ativista do Movimento Feminista das Mulheres Negras.

 

27 de Setembro | Segunda-feira – Jornalismo, Direitos Humanos e Diversidade

 

Jan Jarab é de nacionalidade tcheca e tem uma longa experiência internacional em direitos humanos. Está à frente, desde novembro de 2019, do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos na América Latina com sede em Santiago do Chile. Estudou medicina e antropologia. Foi ativista de direitos humanos na República Tcheca no período de 1989/1999 para logo assumir a Comissão de Direitos Humanos do governo de seu país, no início do século 21, permanecendo no cargo até 2004. Cidadão do mundo, permaneceu sediado no México, de 2016 a 2019, com atuações na Europa e na América do Norte. Foi responsável pelo relatório Injustiça Dupla, publicado em 2019, que relata a investigação do caso do ataque contra 43 estudantes mexicanos da Escola Normal Rural de Ayotzinapa, ocorrido entre a noite e a madrugada de 27 de setembro de 2014 no município de Iguala. É também autor de numerosos artigos publicados nos jornais tchecos e dos livros A revolução loucamente lenta, em 2006, e do livro infantil O segredo do tio Eric, em 2013.

 

Isabel Clavelin é gaúcha, jornalista diplomada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), mestra e doutora em Comunicação pela Universidade de Brasília. É assessora de Comunicação da ONU Mulheres há dez anos, sendo responsável pela gestão de plataformas digitais e redes sociais, campanhas públicas, parcerias em comunicação, divulgações e relacionamento com a imprensa nacional e internacional. Tem experiência profissional em órgãos públicos nas esferas federal, estadual e municipal, além de colaborações com a imprensa negra. Como jornalista, é filiada ao Sindjors, colaborando com o Núcleo de Jornalistas Afro-brasileiros.

 

Mediadora: Eliane Silveira, diretora do Sindjors
Relator: Adroaldo Bauer Corrêa, integrante do Conselho Fiscal do Sindjors

 

28 de Setembro Terça-feira – Os Caminhos do Jornalismo frente às atuais condições de Trabalho e as Novas Tecnologias

 

Mônica Cabañas é gaúcha, cidadã do mundo, jornalista, associada do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS há mais de três décadas e parceira da idealização deste Seminário quando ainda residia no México. Hoje, ela está na Suíça e continua emprestando sua colaboração para o nosso Sindicato. Mônica Cabana também é escritora; terapeuta com formação ericksoniana e programação neurolinguística (PNL); e investigadora de temas como: Alimentação emocional, Os animais e sua importância em nossas vidas, e a natureza como fonte de bem estar e saúde. Autora e coautora de oito livros, sendo o último infantil “As aventuras de Nico e Frida” (obra em português, inglês, francês e espanhol). Possui 3 mestrados – 2 no México (Centro Ericksoniano México (CEM) e Universidade Autônoma de Mexico (UNAM)) – e um na Espanha (Universidade de Alcalá); um MBA na fundação Getúlio Vargas/DF; uma Especialização em Comunicação de Massa pela PUC/RS e é doutoranda em Desenvolvimento Integral e Consciente. Atuou por mais de 33 anos junto a diferentes países e continentes, governos e organismos internacionais com o tema de Proteção Social.

 

José Ribeiro – Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal da Bahia, Especialização em População e Desenvolvimento Sustentável pela Universidad de Chile e Mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais pela Escola Nacional de Ciências Estatísticas do IBGE. Atualmente é Oficial Nacional e Coordenador da Área de Geração de Conhecimento para a Promoção do Trabalho Decente do Escritório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil. Foi Analista Socioeconômico do IBGE, Diretor de Pesquisas da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia – SEI, Diretor Científico da Associação Nacional das Instituições de Planejamento, Pesquisa e Estatística (ANIPES), Diretor da Associação Brasileira de Estudos Populacionais (ABEP), Conselheiro e Presidente do Conselho Estadual Tripartite e Paritário de Trabalho e Renda da Bahia e professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e da Universidade Católica do Salvador (UCSAL).

 

Antônio de Lisboa é cearense e professor de Geografia e História. Com um histórico de muitas lutas desde que migrou, junto com a família, para Brasília aos 12 anos de idade, participou da reorganização do movimento estudantil nos anos finais da ditadura. Integrou a diretoria do Sindicato dos Professores do Distrito Federal por dois mandatos, principalmente no período de 2001 a 2009, quando liderou as maiores greves da história da categoria. Atualmente é Secretário de Relações Internacionais da CUT (eleito em 2016 e reeleito em 2019); é representante dos trabalhadores do Conselho de Administração da Organização Internacional do Trabalho (OIT) mandato 2020/2024; integrante do Conselho Geral e da Central Sindical Internacional e do Conselho Executivo da CSA (Central Sindical das Américas).

 

Mediadora: Vera Daisy Barcellos – presidenta do Sindjors
Relatora: Thaïs Bretanha – conselheira do Conselho fiscal do Sindjors

 

29 de Setembro Quarta-feira – Sindjors, o Novo Sindicalismo e os Desafios para o Futuro

 

Maria José Braga – É graduada em Jornalismo e em Filosofia pela Universidade Federal de Goiás, com mestrado em Filosofia, pela mesma universidade. É presidenta da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e membro do Comitê Executivo da Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ). É também representante da categoria dos jornalistas no Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional. Na FENAJ, já exerceu os cargos de vice-presidenta, secretária-geral, tesoureira e vice-presidenta Região Centro-Oeste. Foi presidenta do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás. Jornalista concursada do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, onde já exerceu o cargo de Pró-Reitora de Desenvolvimento Institucional, de coordenadora-geral de Comunicação Social e de Assessora de Relações Institucionais. Iniciou sua carreira profissional na Cooperativa dos Jornalistas de Goiás (PróJornal) e, em mais de 24 anos de profissão, foi repórter e subeditora do Jornal O Popular, professora do curso de Jornalismo das Faculdades Alfa, editora-chefe da Revista Outra Via e assessora de imprensa de diversas entidades e instituições de Goiás.

 

Claudia Santiago é jornalista e professora no Núcleo Piratininga de Comunicação. Co-autora dos livros “Comunicação Sindical: a arte da falar para milhões”. “Dicionário de Politiquês”, “Experiências em Comunicação Popular no Rio de Janeiro” e organizadora dos livros “Vila Nova: vida e obra de um militante” e “Almanaque da Comunicação Sindical e Popular no Rio de Janeiro” (No prelo). É coordenadora editorial do NPC e do Curso de Comunicação Popular do NPC. Curadora dos Cursos Anuais do NPC.

 

Clemente Ganz Lúcio é professor universitário e sociólogo. Foi diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), é assessor do Fórum das Centrais Sindicais e consultor sindical, também foi membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social e atuou no Comitê Gestor.

 

Claudir Nespolo – Sua formação e militância começou em 1977 quando entrou para a Juventude Operária Católica. Atua na categoria dos metalúrgicos desde 1988, cumprindo três mandatos na presidência do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Porto Alegre (2001-2010), que conta com uma base de 30 mil metalúrgicos. Foi presidente da CUT do RS. Atualmente é secretário de Organização e Política Sindical da CUT/RS e da direção da CUT Brasil.

 

Mediadora: Katia Marko – diretora do Sindjors
Relatora: Carla Seabra – diretora do Sindjors

 

30 de Setembro Quinta-feira – Enfrentando as Crises e as Contingências: A Mudança Climática e o Papel do Jornalismo

 

Elza Lima é fotógrafa reconhecida para além das fronteiras do Pará, onde nasceu. Exerce a profissão desde 1984. Observa e registra espaços amazônicos e sua produção se caracteriza pela utilização dos cenários abertos captando situações de um tempo de aceleradas mudanças. Atualmente desenvolve ações de pesquisa junto às pescadoras do Porto Do Milagre em Santarém, região do Baixo Amazonas. Permaneceu seis meses na Suíça (1995) merecedora de uma bolsa concedida pelo Museu de Arte do Cantão Thurgau, oportunidade que desenvolveu o projeto “Vendo de Perto com Olhares de Fora”, que resultou numa exposição compartilhada com o fotógrafo suíço Barnabás Bosshart no mesmo ano. Nos últimos anos, seguiu com exposições nos Estados Unidos, Alemanha, Espanha, França, China e outros países. Nesta manhã de quinta-feira, a fotógrafa Elza Lima apresentará o registro das suas fotos que denunciam o caos da devastação dos rios e da floresta amazônica, que pede socorro.

 

Eloisa Beling Loose é jornalista, professora, pesquisadora e consultora na área de Comunicação e Meio Ambiente, com ênfase em aspectos atrelados às mudanças climáticas. É doutora em Meio Ambiente e Desenvolvimento pela Universidade Federal do Paraná e doutora em Comunicação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Já trabalhou em redação, assessoria de imprensa e instituições de ensino superior. Atualmente é Diretora de Comunicação do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul (NEJ-RS) e trabalha como pesquisadora para o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, o Cemaden. Recebeu o Prêmio Capes 2017 de melhor tese na área de Ciências Ambientais pelo trabalho sobre as relações entre comunicação, percepção de risco e governança das mudanças climáticas, com foco nos atores envolvidos na produção e recepção de notícias locais em Curitiba. Possui mais de dez anos de experiência na área de investigação, sendo vice-líder do Grupo de Pesquisa Jornalismo Ambiental da UFRGS. Em 2020, lançou o livro “Jornalismo e Riscos Climáticos”, pela Editora da UFPR, e o “Minimanual para a cobertura jornalística das mudanças climáticas”, do qual participou como organizadora.

 

Gizele Martins é Jornalista diplomada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (Puc-Rio). Mestre em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas (UERJ-Febf). É oriunda da Favela do Maré, Rio de Janeiro, com forte atuação no movimento de favelas e direitos humanos. Autora do livro: Militarização e Censura – a luta por liberdade de expressão na Favela da Maré. Há 20 anos atua com jornalismo comunitário pelas favelas cariocas e do país.

 

Helena Palmquist nasceu e vive na Amazônia brasileira. É jornalista graduada pela Universidade Federal do Pará (1999) com mestrado em Antropologia Social pela mesma instituição. É assessora de comunicação do Ministério Público Federal no Pará desde 2004, onde atua no meio jurídico, junto à imprensa, aos movimentos sociais e ambientais. Se interessa, principalmente, pelos temas: licenciamentos ambientais, participação comunitária em processos de decisão, análise do discurso e antropologia rural.

 

Mediador: Ulisses Nenê – integrante da Comissão Estadual de Ética do Sindjors
Relatora: Vera Spolidoro – integrante da Comissão Estadual de Ética do Sindjors

 

Texto: Rosa Pitsch/Diretoria Sindjors e Arte: Niara de Oliveira/Delegacia Regional de Pelotas Sindjors

 

 

Tags: Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) - CUT Nacional e Regional - Federação Internacional dos Jornalistas - Federação Nacional dos Jornalistas - FENAJ - FEPALC - FIJ - FNDC - jornalismo - jornalistas - ONU Mulheres - Organização Internacional do Trabalho (OIT - Seminário Internacional: “Desafios e Oportunidades para Jornalistas num Mundo em Transformação” - Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS - Sindicato dos Radialistas - SINDJORS
Cadastrada em 23/09/2021