Detalhes Notícia


Segue até o domingo, 24, a votação do Plebiscito Popular contra as privatizações. Você pode fazer a diferença

O Plebiscito Popular sobre as Privatizações no RS, organizado por movimentos sociais, sindicais e populares, alcançou nos dois primeiros dias – sábado e domingo – expressivo alcance de participações computado na plataforma DecidimRS. De acordo com a avaliação da diretora do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS – Sindjors, Eliane Silveira, integrante do Comitê Estadual do Plebiscito, a ação vem sendo altamente positiva e já foram computados 28.665 votos oriundos de diferentes regiões do estado, país e, igualmente, do exterior. Nesta segunda-feira, às 19 horas, seguindo o fortalecimento desta mobilização popular, terá uma Live com o teólogo e professor Leonardo Boff que vem traçando, em suas falas, forte oposição às privatizações da água e de outros serviços públicos.

 

 

A abertura deste evento democrático e de incentivo à participação popular começou no sábado, 16, com forte adesão dos gaúchos e gaúchas. Mais de 200 municípios abriram locais de votação presencial, em praças, parques, feiras, sindicatos, associações, Igrejas, sedes de partidos, escolas, comércio, festas das comunidades, celebrações religiosas e assentamento da reforma agrária. Além da votação online, o Plebiscito Popular dispõe de mais de 150 urnas volantes que alcançam nove territórios da Capital e da Grande Porto Alegre.

 

No interior do estado, um dos pontos mais movimentados foi o Feirão Colonial de Santa Maria, que contou com um número expressivo de votantes. Cidades como Cachoeira do Sul, Candelária, Rolante e Panambi transformaram praças em seções eleitorais. Em São Pedro do Sul, foi registrado o voto da eleitora mais idosa do dia, Verônica Einloft, com 92 anos. Já em Santana do Livramento, Gelson Xavier Dachi foi o primeiro a votar. “Tem que dar apoio a esta votação, fortalecer a democracia, a decisão é do povo”, declarou ele. Na região metropolitana, teve ato de abertura da votação na parada 48 de Alvorada e, em Viamão, o comitê municipal disponibilizou espaços com computadores, para que as pessoas pudessem votar direto na plataforma.

 

Eleitora mais idosa do primeiro dia de votação do Plebiscito Popular, Verônica Einloft, com 92 anos, de São Pedro do Sul. Foto: Divulgação Plebiscito Popular.

 

Em Porto Alegre, foram registradas movimentações importantes na Restinga e na Lomba do Pinheiro. Na Restinga, uma banca de rua organizada pelas lideranças comunitárias, chegou a ter fila para votar. Na Lomba do Pinheiro, a lideranças fizeram trabalho com urnas volantes. Além dos locais organizados pelos comitês zonais, a Capital contou com urnas em comércios e e serviços. Um deles foi o Armazém do Campo, loja da Reforma Agrária, na Cidade Baixa. Outro exemplo é o Salão de Beleza da Cleia, no Bairro Santa Tereza, onde a clientela foi convidada a votar no plebiscito.

 

A votação no plebiscito se estende até o dia 24 de outubro. Para votar online, basta acessar a plataforma decidimrs.com.br, incluir seus dados e registrar sua opinião. Para votação presencial, confira os locais na sua cidade no site www.plebiscitopopular.com.br

 

Para saber mais sobre o Plebiscito Popular acompanhe as nossas redes sociais no Facebook, Instagram e Twitter: /plebiscitopopularrs

 

Texto: Eliane Silveira, diretora do Sindjors e integrante do Comitê Estadual do Plebiscito Popular

 

Leia também: 

Até dia 24, vote NÃO no Plebiscito Popular sobre Privatizações no RS

Sindjors chama categoria para a Primavera da Democracia: diga não às privatizações

Plebiscito Popular contra as privatizações – É chegada a hora da Primavera da Democracia. Participe!

 

 

Tags: CUT-RS - Federação Internacional dos Jornalistas - Federação Nacional dos Jornalistas - FENAJ - FIJ - jornalismo - jornalistas - Plebiscito Popular sobre as Privatizações no RS - Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS - SINDJORS
Cadastrada em 18/10/2021