Detalhes Notícia


Alberto Blum deixa o legado da generosidade e respeito

As inúmeras manifestações carinhosas e generosas no Facebook para o gaúcho Alberto Herman Blum que faleceu no domingo, 14, aos 81 anos, em Lajeado, mostraram quem foi o jornalista que atuou em diferentes áreas das redações da Folha da Tarde e Zero Hora. Residente em Lajeado, ele teve um mal estar na noite de sábado, 13, foi encaminhado para a emergência do hospital local, onde veio a falecer em decorrência de uma infecção generalizada.

 

Tranquilidade no falar, respeitoso e gentileza no trato com todos os colegas, independente dos cargos exercidos, ao longo da carreira, foram as marcas pessoais de Alberto Brum. Entre tantos depoimentos nas redes sociais, reverenciando a sua memória, um deles foi do ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS – Sindjors, Antônio Oliveira, revelador das qualidades de Alberto Herman Blum desde jovem “… meu companheiro de turma na Famecos que elegemos presidente do Centro Acadêmico Arlindo Pasqualini (CAAP) e que liderou o movimento pelo afastamento do então diretor da faculdade, professor/banqueiro Claudio Candiota. Companheiro amável, respeitoso e profissional de primeira linha. Nunca o vi falando alto com alguém. Além do jornalismo, sua outra paixão era a venda de seguros…”.

 

O Sindjors, ao lamentar esta perda, apresenta seus sentimentos a todos os familiares reverenciando Alberto Hermann Blum como um exemplo de profissional humanitário e ético.

 

Texto: Vera Daisy Barcellos/Sindjors

 

Tags: Alberto Herman Blum - Federação Internacional dos Jornalistas - Federação Nacional dos Jornalistas - FENAJ - FIJ - jornalismo - jornalistas - Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS - SINDJORS
Cadastrada em 16/11/2021


Clicando em "Aceito todos os Cookies", você concorda com o armazenamento de cookies no seu dispositivo para melhorar a experiência e navegação no site.