Sala de Imprensa

 

A jornalista Vera Daisy Barcellos está no mercado profissional há quase 50 anos. Hoje exerce a presidência do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul – Sindjors, (gestão 2019/2020) como mais uma etapa de vida e de sua trajetória de militância e participação em atividades políticas, sociais e culturais. Acompanhe, a seguir, o registro de algumas atividades destacadas em sua história: ATIVIDADES PROFISSIONAIS E DE REPRESENTAÇÃO – A jornalista porto-alegrense Vera Daisy Barcellos tem exercido ao longo de sua trajetória de vida, diferentes atividades profissionais, tanto trabalhando para veículos de comunicação como em assessorias de imprensa, e em instituições da sociedade civil em divulgações sociais e culturais.  Atualmente exerce a presidência do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do RS, Sindjors – gestão 2019/2022.

 

Nos últimos 10 anos, Vera Daisy Barcellos está à frente da assessoria de comunicação e da produção executiva do Puro Asthral, grupo de samba porto-alegrense. Puro Asthral vem desenvolvendo há dois anos o bem sucedido projeto (interrompido pela pandemia Covid 19) Terça de Samba na Escadaria da Borges (Viaduto Otávio Rocha) no Centro Histórico de Porto Alegre. O evento tem movimentado em torno de 200 a 300 pessoas, em cada terça-feira. Nos festejos de primeiro e segundo anos reuniu em torno de 1000 pessoas.

 

Uma outra atividade cultural musical que ocorre há sete anos com grande afluência de público e sob a produção da jornalista é o Pré-Reveillon Puro Asthral que ocorre no último domingo do ano na Travessa dos Venezianos, Bairro Cidade Baixa. Vera Daisy também coordenou os shows – Tributo ao Samba e Referências – realizados no Teatro Bruno Kiefer/Casa de Cultura Mario Quintana, em 2017, e na Sala Multipalco Eva Sopher/Theatro São Pedro, em 2018.

 

Registra em sua militância sindical a presidência da Comissão Estadual de Ética, do SINDJORS e, igualmente, foi a presidenta da Comissão Nacional de Ética da Federação Nacional de Jornalistas – FENAJ gestão 2016/2019.

 

Mas foi entre as décadas de 1960 e 1970 que iniciou suas atividades no Movimento Negro gaúcho, integrando o Grupo Palmares idealizado pelo professor Oliveira Silveira. Foi fundadora e jornalista responsável da revista Tição, um marco na imprensa alternativa gaúcha focada na questão étnico-racial e com repercussão no cenário nacional e internacional nos anos de 1970.

 

Exerceu atividades jornalísticas no Jornal do Comércio, de Porto Alegre, em 1971. Trabalhou na coordenação de comunicação da Legião Brasileira de Assistência no período de 1975 a 1997. Integrou a equipe de jornalistas do Jornal Hoje, da RBS, em 1975 e seguiu por 16 anos (1976-1992) como funcionária do jornal Zero Hora, realizando coberturas esportivas e carnavalescas.

 

Foi repórter e editora no período de 1999 a 2005 do jornal A Voz da Serra, Erechim, no qual conquistou a menção honrosa do Prêmio de Jornalismo da Associação Riograndense de Imprensa – ARI com o caderno especial Erechim Mulher. Material esse revelador da participação das mulheres na construção e cultura do município da região do Alto Uruguai.

 

No período de 2006 a 2011, foi assessora de imprensa da Rede Nacional Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos e consultora de comunicação da Campanha Ponto Final na Violência contra Mulheres e Meninas e do UNFPA – Fundo de População das Nações Unidas – ONU Brasil.

 

Como representante do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul -SINDJORS foi integrante do Conselho Deliberativo da Fundação Cultural Piratini Televisão Educativa – TVE/RS; Conselho Deliberativo da Associação Riograndense de Imprensa (ARI), do Conselho Municipal de Políticas para o Povo Negro, do Conselho Estadual de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra do RS – Codene. É militante do Movimento Feminista das Mulheres Negras e presidiu o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher – Comdim Porto Alegre, gestão 2014/2017 representando o Núcleo de Gênero e Diversidade do Sindjors.

 

Participou como coautora dos livros Negro em Preto e Branco – História fotográfica da população negra de Porto Alegre (Prêmio Açorianos/2005), Colonos e Quilombolas – Memória fotográfica das colônias africanas de Porto Alegre e é autora da publicação do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas -CEAP, do Rio de Janeiro, denominada Os Lanceiros Negros na Guerra dos Farrapos (1835-1845) que integrou a coleção Camélia da Liberdade/2012.

 

Acompanhe a entrevista com a presidenta, Vera Daisy Barcellos:

“É fundante que a categoria se reconheça enquanto trabalhadores” (https://www.brasildefators.com.br/2019/07/06/vera-daisy-e-fundante-que-a-categoria-se-reconheca-enquanto-trabalhadores)

 

GALERIA CLAUDIO FACHEL

GALERIA JORGE LEÃO